Quando se fala de cultura em Câmara de Lobos poucos saberão qual é a realidade deste concelho e principalmente das atribuições, competências e responsabilidades deste município. Tratando-se de uma área de grande relevância, consideramos ser importante dar a conhecer a perspectiva do actual executivo em relação a esta temática.

 

 A política cultural, definida pelo actual executivo, dará prioridade à dimensão de longo prazo e resistirá às pressões do imediatismo que, sobrevalorizando quer os efeitos de anúncio mediático quer as soluções pontuais ou de curto prazo, evitando desta forma o carácter elitista e o populismo mediático que em nada favorecem a promoção e divulgação da cultura.
 
Entendemos que a cultural deve ter como objectivo a promoção do munícipe, isto é, ao promover o desenvolvimento cultural do indivíduo estamos a contribuir para o seu desenvolvimento integral. Só mulheres e homens cultos, capazes de compreensão e conhecimento crítico da realidade, podem exercer plena e responsavelmente os seus direitos e a sua cidadania. A dimensão cultural é essencial. Por isso, a política cultural tem de dirigir-se prioritariamente a todas as pessoas e só depois aos agentes culturais.
 
A actividade deve estimular uma cultura de responsabilidade solidária que leve todos a empenhar-se na vida cultural e na protecção do património.
 
Consideramos que a cultura contribui para a diminuição da exclusão social, para o reforço da auto-estima das pessoas e para a valorização e enriquecimento do Concelho. Deste modo, a cultura é elemento indispensável e essencial para a própria qualidade de vida.
 
O executivo definiu como prioridade a implementação da biblioteca municipal de Câmara de Lobos que privilegie, como refere o Manifesto da UNESCO, "todos os tipos de suporte e tecnologias modernas apropriadas, assim como fundos tradicionais", isto é, além dos livros, a biblioteca terá outros suportes, nomeadamente áudio, vídeo e multimédia. O projecto a desenvolver tem em conta as necessidades actuais de uma biblioteca, activa e abrangente, conseguindo deste modo satisfazer as necessidades de um município mais culto e interveniente.
 
 A biblioteca é composta por dois pólos, um na cidade de Câmara de Lobos e outro na vila do Estreito de Câmara de Lobos e extensões nas outras freguesias. Os núcleos serão dotados de uma secção para adultos, uma secção infantil, gabinetes de trabalho, um depósito, uma sala polivalente e outras instalações necessárias à biblioteca. A secção para adultos será dotada de vários espaços nomeadamente uma zona para empréstimo de livros, uma zona para consulta local, uma zona para leitura local de periódicos e um espaço multimédia cuja finalidade é a auto formação. A secção infantil será composta por uma zona para empréstimo de livros, uma zona para consulta local e uma zona para o conto. Este projecto será desenvolvido na Casa da Cultura e no Centro Cívico do Estreito de Câmara de Lobos a construir brevemente no centro daquela localidade.
 
Relativamente à promoção e divulgação da cultura, continuaremos a apostar nas iniciativas já implementadas nomeadamente no apoio às instituições culturais do concelho, que abarcam as diversas manifestações culturais, como por exemplo, o teatro, o canto, a música e o folclore. As instituições apoiadas, além do papel relevante que possuem na divulgação da cultura, preocupam-se com a formação inicial dos indivíduos, garantindo desta forma a formação integral do munícipe. A Casa da Cultura e Centros Cívicos do Estreito e Curral das Freiras continuarão a desempenhar um papel relevante na promoção e divulgação da cultura, será um espaço privilegiado e disponível onde a cultura terá uma presença constate, através da biblioteca a instalar naquele espaço e através das manifestações nas diferentes áreas de intervenção, nomeadamente, exposições de artes plásticas, teatro, concertos, espectáculos musicais, colóquios e outras actividades que tenham por finalidade o enriquecimento cultural dos munícipes.
 
Os espaços culturais disponíveis no Concelho desempenham um papel relevante na promoção e divulgação da cultura, é e será sempre um espaço privilegiado e disponível onde a cultura terá uma presença constate, através das manifestações nas diferentes áreas de intervenção, nomeadamente, exposições de artes plásticas, teatro, concertos, espectáculos musicais, colóquios e outras actividades que tenham por finalidade o enriquecimento cultural dos munícipes.
 

Desde que entraram em funcionamento a Casa da Cultura e Centros Cívicos do Estreito e Curral das Freiras, podemos constatar que os espaços culturais vieram dar resposta às necessidades e aos anseios da população e que os camaralobenses aderem às iniciativas promovidas naquele espaço.